quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Porta aberta e janela escancarada


Eu sempre deixei a porta aberta, pois preferi achar que você estava comigo porquê queria e não em função de uma fechadura, sem chave por perto. Escancarei todas as brechas e saídas para que você se sentisse livre para partir, quando quisesse, ou pra sentir como está o clima lá fora. Você nunca me ouviu pedindo pra ficar mais um pouco ou implorando que você o fizesse indiretamente, por meio de um planejado medo do escuro, que você também sabe que eu não tenho. Eu jamais faria isso por uma série de motivos, mas o mais forte deles sempre foi orgulho... Aquele que sempre me impediu de dizer o quanto eu me sentia melhor quando estávamos juntos, com a certeza de que eu não poderia condicionar meu conforto à sua presença e calando todas as vozes que nunca puderam ecoar, entre nosso silêncio. Éramos felizes de portas abertas e janelas escancaradas, para que todo mundo visse e você soubesse que poderia ir embora, mas eu preferia que você ficasse. Repeti incansáveis vezes, em cada pequeno gesto meu. Nunca fui boa com declarações ou coisas do tipo, mas, a esta altura do campeonato, você já deveria ser expert em decifrar o meu silêncio. É ele quem te fala agora, entre gritos mudos e soluços engolidos a seco. Nunca te acorrentei aos meus anseios, tampouco te engaiolei e exigi algo em troca. Não sou disso. Aliás, você me ensinou a não fazer mais isso e eu pareço ter aprendido. Aprendi tanto que só notei que você havia ido embora quando não encontrei alguém pra me dizer boa noite e que eu estava linda. Decorei teus clichês a ponto de não precisar mais ouvi-los. Nosso relacionamento entrou naquele automatismo que eu tanto temia e foi aí que, após muito tempo, vim sentir sua falta. Acostumada com teu entra-e-sai, deixei de perceber quando você ia embora, mas tomei mais cuidado com a porta. Por precaução, tenho deixado fechada. Você sabe onde me procurar e pra quem voltar, mas eu tenho pensado se ainda vale a pena te receber ou deixar a porta aberta.

(Marílya Caroline)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário